às 11:02:00

SONHO, APRENDIZADO E EMOÇÃO: foi o que acadêmica de Medicina do UNITPAC, sentiu ao realizar intercâmbio na cidade de Ica no Peru

Rafaella teve a oportunidade de viver uma realidade completamente diferente enquanto agregava conhecimento humanitário e cultural ao seu processo de formação

Nome: Rafaella Dias Galvão.

Período da Viagem: Janeiro de 2020 a fevereiro de 2020.

Curso: Medicina.

 

Motivo da viagem:

Realizar um trabalho voluntário em um orfanato na cidade de Ica no Peru, agregando conhecimento humanitário e cultural em meu processo de formação. Além disso, associar a medicina ao intercâmbio com a realização do projeto “Saber Além de Fronteiras: Prevenção de Parasitoses Intestinais em um Orfanato Peruano”, orientado pela professora Iangla Araújo.

 

Um depoimento sobre essa ação:

Poder ter oportunidade de viver uma realidade completamente diferente da minha por 45 dias é uma experiência e tanto. Meu intercâmbio foi um conjunto de sonho, aprendizado e emoção, onde junto com duas amigas pude conhecer um país incrível e sair da minha zona de conforto. Ficar longe da minha família, morar em uma casa de peruanos, aprender uma nova língua e enfrentar barreiras culturais, como comida e costumes, foram poucas das coisas que aconteceram na minha viagem.

Trabalhei todos os dias em um orfanato só de meninos, onde eu e meu grupo composto por 3 meninas brasileiras, ensinamos inglês, modos, jardinagem e muito mais para os órfãos. Uma atividade muito difícil no começo, mas gratificante no final. Como estudante de medicina, agregar essa experiência à minha carreira profissional foi de suma importância. Me interessei sobre o sistema de saúde do país e com muita sorte consegui participar de um plantão cirúrgico em um hospital de Ica. Assisti várias cirurgias e entre elas a que me encantou foi ver meu primeiro parto. Além disso, antes de viajar gostaria de aliar a medicina ao intercâmbio de algum jeito e assim conversando com a faculdade consegui idealizar o projeto. Pesquisei sobre um tema que abrangesse um problema comum do país: Parasitoses Intestinais. E deu muito certo! Abordei no orfanato o tema, expliquei na língua local para os meninos e ensinei a forma correta de prevenir.

Uma experiência que me mostrou gratidão, amor e a importância de ser humana e humilde, principalmente na minha futura profissão. Entender que ajudar e estar disposto a cuidar é essencial!


Fonte: