às 11:01:00

Difundindo conhecimento com a população carente da nossa cidade

Rodas de Conversa com famílias vinculadas ao CRAS II

Acadêmicos do Curso de Direito do UNITPAC, realizam Rodas de Conversa com famílias vinculadas ao CRAS II na cidade de Araguaína/TO.

O projeto está inserido nas temáticas abordadas na disciplina de Projeto Integrador II, com a condução da Profa Priscila Araújo Fraga Castro. Neste semestre a turma foi desafiada a trabalhar com grupos vulneráveis, levantando questões sobre Direitos Humanos e Direitos Sociais.

Uma das equipes desenvolveu nos dias 4 e 6 de novembro ciclos de Roda de Conversa com a população carente do município, com o objetivo de difundir o conhecimento agregado durante a faculdade, mas de forma dinâmica e simples. Durante a execução foram adotados todos os protocolos de segurança para proteção dos acadêmicos e participantes.

A metodologia escolhida foi a Roda de Conversa, onde os participantes puderam dialogar sobre os temas propostos. Ao todo foram realizadas 4 rodas de conversa e os temas escolhidos foram Estratégias para prevenir a ansiedade em tempos de pandemia, saúde bucal e qualidade de vida, os ricos da automedicação em tempos de pandemia e Conceitos preliminares de cidadania.

Em equipe preocupou-se em propor atividades interdisciplinares, possibilitando o diálogo entre outros cursos da instituição e contou com a participação de professores e acadêmicos dos cursos de odontologia, farmácia e psicologia.

O projeto partilhar também visou ainda atender as famílias em suas necessidades básicas e fez a distribuição de algumas cestas básicas e álcool em gel, além de serem sorteados alguns kits durante as dinâmicas realizadas no evento.

A acadêmica e integrante da equipe Sarah Rebeca Barbosa relatou a experiência da seguinte forma: “No início do projeto é tudo muito incerto, sem forma, mas com o passar das fases a ideia de levar um pouco da universidade para a comunidade se torna mais concreta e tangível. E poder ver o impacto que o conhecimento traz para a vida daqueles que dele são tão carentes é gratificante, saber que de alguma forma, mesmo pequena, nós podemos ajudar de modo significativo a melhorar a vida das famílias é gratificante. Durante os dois dias de execução, entre as rodas de conversas e a doação de cesta eu pude notar que o projeto é passageiro, mas o que ele nos ensinou não. Nós aprendemos que de fato estar em um curso superior é um privilégio, e cabe a nós, muito mais aos estudantes de direito, operar mudanças. Mudanças porquê as famílias assistidas pelo CRAS, como tantas outra…”.

Já a acadêmica Larissa Araújo Sousa conta que: “O sentimento que fica é o de gratidão e de dever cumprido. Durante a realização do evento, foi possível perceber o quanto aquelas pessoas são carentes tanto de forma financeira quanto de forma emocional, necessitando de atenção e momentos como esse que foi promovido. Isso nos leva a reflexão, da simplicidade de nos disponibilizarmos para compartilhar um pouco do nosso conhecimento, e aprender com as experiências dessas pessoas. Como acadêmica, me sinto feliz por participar e colocado em prática o que venho aprendendo ao longo da faculdade e deixo aqui minha vontade de realizar mais projetos como esse”.

Projetos de extensão como esse são fundamentais durante a formação acadêmica, pois possibilitam a formação do profissional cidadão e se credencia, cada vez mais, junto à sociedade como espaço privilegiado de produção do conhecimento significativo para a superação das desigualdades sociais existentes, como prática acadêmica que interliga a Universidade nas suas atividades de ensino e pesquisa.


Fonte: